Ministério da Saúde: “Acordo de cooperação vai capacitar 15 mil profissionais de saúde”

Ministério da Saúde: “Acordo de cooperação vai capacitar 15 mil profissionais de saúde”

No início de setembro, o Promundo assinou acordo de cooperação técnica com o Ministério da Saúde, visando a formação de 15 mil profissionais de saúde, em todo o território nacional, nas temáticas de paternidade e cuidado. Abaixo, reproduzimos o texto do site oficial do Ministério da Saúde, escrito por Luciano Marques e publicado no dia 04 de setembro. O Promundo se orgulha dessa parceria e frisa que está comprometido cada vez mais com a equidade de gênero e com as demais pautas com as quais trabalha.

Vamos juntos, juntas e juntes?

Registro da assinatura do acordo de cooperação entre o Ministério da Saúde e o Promundo

Ministério da Saúde firmou parceria com Instituto Promundo para qualificação do cuidado que incentive o envolvimento dos homens no exercício da paternidade

 

O Ministério da Saúde assinou Acordo de Cooperação Técnica (ACT) com o Instituto Promundo. O anúncio foi feito no Seminário Nacional e Internacional de Paternidade e Cuidado, com o objetivo de qualificar profissionais de saúde da atenção primária sobre saúde do homem, seguindo as orientações do Guia do Pré-Natal do Parceiro para profissionais de saúde. As formações devem alcançar até 15 mil profissionais em todo o País.

O curso tem como objetivo munir os trabalhadores da saúde com informações para uma abordagem que incentive o envolvimento dos homens no exercício da paternidade, problematização dos padrões de masculinidades, prevenção de violência e promoção da equidade de gênero.

Celmário Brandão, coordenador de Atenção à Saúde do Homem, explica que a ideia é capacitar profissionais em todos os estados para que mais homens se aproximem do sistema de saúde. “Queremos promover uma melhor qualificação e engajamento das equipes de saúde, não apenas na assistência em saúde dos homens, mas também que os orientem sobre corresponsabilização e exercício dos cuidados com seus filhos, desde a gestação, reduzindo as iniquidades de gênero que historicamente sobrecarregam as mulheres brasileiras”, afirmou.

Luciano Ramos, diretor adjunto do Instituto Promundo, explica que tanto o guia quanto a capacitação fazem com que os profissionais de saúde tenham novas ferramentas para introduzir o homem no sistema de saúde, de forma a cuidar da saúde preventivamente, o que acaba refletindo em toda a família. “Os profissionais têm muita dificuldade de falar com os homens. A paternidade é uma janela importante para que entre no sistema de saúde. Se o profissional está instrumentalizado para acolher e cuidar desse homem que chega ao serviço de saúde por causa do filho, consegue introduzir esse homem no sistema de saúde, e consegue cuidar não apenas dele, mas também da criança e do parceiro ou parceira com quem esse homem vive”, explicou.

Registro do Seminário Nacional e Internacional de Paternidade e Cuidado

Saúde do homem

Um dos eixos de trabalho da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (Pnaish) é o de Paternidade e Cuidado, que reconhece a importância da participação do homem desde o planejamento reprodutivo, passando pela gestação, parto, pós-parto, puerpério e desenvolvimento ao longo da vida, incidindo positivamente na redução da mortalidade materna e infantil e destaca a importância do parceiro em todas as etapas de vida de seus filhos.

A Estratégia Pré-Natal do Parceiro (EPNP) na atenção primária à saúde busca contribuir significativamente para ampliar e melhorar o acesso e acolhimento dos homens aos serviços de saúde e, consequentemente, diminuir os índices de morbimortalidade da população masculina; para aumentar os vínculos afetivos entre pai, mãe e filhos; para promover o aleitamento humano e redução da mortalidade materna e infantil; para prevenir e diminuir a transmissão de IST/HIV (inclusive transmissão vertical); e para diminuir a violência intrafamiliar.

Promundo

Fundado em 1997, o Promundo destaca-se como uma organização não governamental brasileira que opera tanto em diversas regiões do Brasil como em outros países. Sua missão é fomentar a igualdade de gênero e prevenir a violência, concentrando-se especialmente na participação ativa de homens e mulheres para efetuar uma transformação positiva nas concepções de masculinidade. A organização também é reconhecida por sua contribuição na formulação de recursos metodológicos que amparam tanto governos quanto entidades sociais. É referência nas áreas de masculinidades e paternidades, tendo estabelecido parcerias com instituições respeitadas como o Unicef, Banco Mundial e entre outras.

voltar ao índice