Programa M

Pesquisa

Para desenvolver o currículo e abordagem do Programa M (M de mulheres e mujeres em espanhol), o Promundo e organizações parceiras (ECOS, Instituto Papai, Salud y Género e World Education) conduziram pesquisas sobre as atitudes de mulheres jovens no Brasil e no México acerca de normas e papéis de gênero e percepções femininas a respeito de relacionamentos interpessoais. Parceiros em mais de 20 países adaptaram desde então as atividades do Programa M adequando-as de acordo com os contextos e resultados de pesquisas locais.

Intervenção

Atividades de educação em grupo baseadas em evidências promovem a sensibilização de mulheres sobre desigualdades de gênero, saúde sexual e saúde reprodutiva e permitem-lhes desenvolver capacidades e atitudes associadas à autonomia nos relacionamentos. Estas atividades são geralmente realizadas junto com as atividades do Programa H, dirigidas aos homens jovens.

Campanhas

Campanhas desenvolvidas e lideradas por jovens reúnem homens e mulheres para disseminar as mensagens para a promoção da equidade de gênero e promover o ativismo juvenil, bem como reforçar mudanças sociais positivas nas comunidades.

 

O Programa M (M de mulheres e mujeres, em espanhol) foi lançado em 2006 como complemento do Programa H (de homens e hombres), que procura incentivar o questionamento sobre normas de gênero entre mulheres. Partindo da experiência do Programa H, o Programa M foi desenvolvido com o objetivo de trabalhar com mulheres, com idades compreendidas entre os 14 e 24 anos, na promoção da saúde e empoderamento através de reflexões críticas sobre gênero, direitos e saúde. Testado no Brasil, Jamaica, México e Nicarágua, foi, desde então, adaptado e implementado em vários outros países, como a Índia, Tanzânia, Peru e Balcãs.

A metodologia do Programa M combina oficinas educativas com campanhas de sensibilização desenvolvidas por jovens que procuram promover atitudes equitativas de gênero entre mulheres jovens e maior autonomia em relacionamentos interpessoais. Estão disponibilizadas 33 atividades que podem ser adaptadas de acordo com as necessidades das comunidades. Estas atividades abordam vários temas, tais como gênero, saúde sexual e saúde reprodutiva, empoderamento feminino e maternidade e cuidado. Em 2014, foi lançado também o manual Programa HMD, que é uma compilação das principais atividades dos Programas H e M, incluindo as ações de promoção da reflexão sobre diversidade sexual (representado pela inicial D). Entre as ferramentas disponíveis está o desenho animado sem falas Era Uma Vez Outra Maria, que conta a estória de uma menina que questiona as normas de gênero e a forma através das quais estas influenciam a sua maneira de pensar e agir.

As avaliações do Programa M realizadas no Brasil e na Índia, usando itens da Escala GEM (Gender-Equitable Men) uma escala de atitudes validada, que foi adaptada e implementada em mais de 20 contextos, revelaram que as mulheres que participaram no Programa melhoraram a comunicação com seus parceiros sobre saúde sexual, aumentaram a autonomia em relacionamentos interpessoais, reduziram o uso de drogas e aumentaram a utilização de contraceptivos.

As escolas têm tido um papel central na implementação dos Programas H e M, proporcionando ambientes receptivos através dos quais estas abordagens podem ser elevadas em escala institucionalmente. No Brasil, o Promundo lançou o Portal Equidade de Gênero nas Escolas com o objetivo de capacitar os professores sobre a metodologia dos Programas H e M através de um ambiente de educação virtual.

Recomenda-se o uso dos Programas H e M em conjunto e a inclusão de discussões específicas sobre diversidade sexual e homofobia.

Programas relacionados

  • Programa H: Dirigido a homens jovens, o Programa H encoraja a reflexão sobre normas rígidas associadas à masculinidade e promove a transformação de atitudes relacionadas a gênero que produzem inequidades.
  • Programa D: Pensado como um complemento dos Programas H e M, o Programa D combate a homofobia e promove a diversidade.
  • Portal Equidade de Gênero nas Escolas (PEGE): PEGE disponibiliza ferramentas de capacitação online para professores visando a promoção da equidade de gênero na sala de aula.