Criança Sujeito de Direitos

Pesquisa

O programa Criança Sujeito de Direitos foi desenvolvido a partir dos resultados de um processo de consulta sobre castigos físicos e humilhantes realizado com crianças entre os cinco e doze anos de idade pelo Promundo no Rio de Janeiro.

Intervenção

O currículo proporciona atividades de sensibilização em grupo, destinadas a crianças, pais e cuidadores, sobre os direitos das crianças e a importância de prevenir castigos corporais, alternativas para uma educação positiva, bem como informação sobre ações para influenciar políticas e campanhas comunitárias com o objetivo de transformar normas de gênero.

 

Criança Sujeito de Direitos promove a sensibilização de pais e cuidadores sobre os direitos das crianças e as consequências dos castigos físicos e humilhantes para elas. No âmbito deste programa, o Promundo desenvolveu o currículo educacional Pelo fim dos castigos físicos e humilhantes, com atividades destinadas a promover reflexões entre pais, mães e outros cuidadores. Para complementar as oficinas de sensibilização em grupo, os facilitadores podem usar o vídeo Era uma vez uma Família, que ilustra os desafios comuns da educação de crianças desde a infância até à adolescência.
O programa foi desenhado e lançado pelo Promundo e parceiros em 2005 com o apoio da Fundação Bernard Van Leer e da Save the Children Suécia.

Uma avaliação de impacto do programa foi realizada com pais de três comunidades de baixa renda no Rio de Janeiro entre 2005 e 2007. Os resultados do estudo indicaram uma redução no uso dos castigos físicos contra crianças e um aumento do conhecimento acerca de formas não violentas de educação.

O Promundo também é membro da rede Não Bata, Eduque, que é apoiada por organizações que trabalham pela defesa dos direitos de crianças e adolescentes no Brasil. A rede visa sensibilizar pais e cuidadores sobre as consequências negativas de castigos físicos e humilhantes para as crianças. Promove ainda discussões sobre violência doméstica, usando artes visuais, música e teatro para mobilizar crianças, jovens e adultos.

Enquanto parte da campanha Não Bata, Eduque, o Promundo lançou em 2013 o livro infantil Vento no Rosto, que promove a educação não violenta a partir da perspectiva das crianças. Doze meninos e meninas da comunidade da Maré, Rio de Janeiro, com idades entre seis e treze anos, criaram o livro, compartilhando ideias sobre como eles gostariam de ser educados sem o uso da violência.

Em 2014, Vento no Rosto ganhou o 3º Prêmio Anual Avon de Comunicação, que reconhece organizações cujas estratégias de comunicação inovadoras ajudam a transformar comunidades, instituições, políticas e comportamentos e a prevenir e por fim à violência contra mulheres e crianças.

Dando continuidade à série de livros infantis para promover educação não violenta e com equidade, também em 2014 o Promundo lançou Chutando Pedrinhas, que trata da relação de um pai com sua filha e de como alguns padrões de gênero limitam os desejos e sonhos dessa menina por reservarem papéis específicos para homens e mulheres na sociedade. A história é produto da criação coletiva de 17 meninas moradoras do Morro dos Prazeres, Rio de Janeiro.

 

Programas relacionados: