Promundo realiza capacitação com grupo de pais no Sri Lanka

Promundo-EUA foi convidado pela World Vision a adaptar a metodologia do programa P (paternidade) no Sri Lanka. O objetivo do projeto Grupo de Pais MenCare foi prevenir a violência contra mulheres e crianças, promover o engajamento dos homens como pais e cuidadores e a educação na primeira infância.

Foram realizados workshops e pesquisas formativas sobre paternidade e levantadas pistas sobre como desenvolver uma campanha comunitária. Em novembro de 2012, os módulos da adaptação do Programa P foram testados junto a casais da etnia Tamil, na região de plantação de chá do Sri Lanka, Maskeliya. Atualmente, Promundo em parceria com a World Vision estão trabalhando em um manual MenCare para aplicação nesta região.

A World Vision tem adaptado as mensagens da campanha global de paternidade MenCare – coordenada por Promundo, Sonke Gender Justice (África do Sul) e Aliança MenEngage – nas regiões de plantação de chá do Sri-Lanka. A organização também já adaptou atividades do Programa H, do Manual Criança Sujeito de Direitos e da Escola de Pais pela Equidade Gênero desenvolvido pelo projeto Homens pela Igualdade de Gênero (Suécia).

Resultados preliminares de uma avaliação qualitativa realizada com os participantes indicam que os homens e mulheres que participaram dos grupos diminuíram a quantidade de álcool consumida, passaram a usar menos violência doméstica e aumentaram opiniões favoráveis à divisão de responsabilidades de cuidado.

Veja abaixo o relato de um dos participantes do projeto.

“Os últimos três ou quatro meses trouxeram mudanças incríveis na minha vida graças ao programa de educação da World Vision realizada para os homens em nossa comunidade. A mudança mais desejada na minha vida era a consolidação de uma maior sensação de família. Estou muito mais próximo do minha filha e esposa agora. Antes de aderir a este programa, todos os dias após o trabalho eu costumava sair para jogar críquete com meus amigos ou para festas com bebidas regulares. É desta maneira que os homens vivem em nossa comunidade, mesmo depois de casados com filhos.

Eu tinha uma outra prática muito ruim. Estava viciado em mascar betlee (espécie de tabaco) desde idade muito precoce. Todos os homens e mulheres de nossa comunidade têm esse costume. As lições foram aprendidas e as práticas me ajudaram a me libertar deste hábito e hoje passo todas as noites com meu filho e esposa.

Só no mês passado, após três anos de meu casamento, eu comprei um Thali (uma corrente que os homens dão de presente de casamento a suas esposas na cultura Tamil) para minha esposa porque eu sinto que eu amo tanto, e eu nunca tinha pensado nisso antes. Eu agora vou poupar dinheiro com um propósito dar uma educação melhor a nossa filha à medida que ela cresce.

Faço questão de conversar com minha esposa e filha todas as noites sobre tudo o que aconteceu naquele dia, é um momento muito alegre em nossa vida diária. Eu passei a levá-la regularmente para o parque infantil em nossa comunidade para brincar com ela, algo que eu nunca tinha feito antes, mas que agora eu gosto muito de fazer e percebo o quanto ela fica feliz e nos aproxima.

Como a maioria dos homens em nossa comunidade, eu também não sei ler e escrever bem. Estou aprendendo com minha esposa, ela me ajuda a aprender as letras e ler os livros que eu trago para casa da biblioteca comunitária. Agora eu entendo que é importante saber e que há muitas coisas que devemos aprender e que a aprendizagem é um processo ao longo da vida.

Eu também estou ajudando meu irmão para superar seu vício em álcool e estou ensinado as lições que aprendi no programa de educação em grupo.

Acima de tudo agora eu sinto que eu sou um homem útil para minha esposa, minha filha e minha comunidade. A alegria que experimentamos hoje é imensa e quero aprender mais e me tornar mais útil a este mundo. Quero me tornar um membro ativo para liderar a transformação da nossa comunidade, especialmente entre os homens”.

voltar ao índice